Arquivo da categoria: quadro

Buritizal

BURITIZAL 100x100cm

Embora considera a palmeira mais abundante do Brasil, o Buriti (Mauritia Flexuosa) é pouco observada em projetos paisagísticos, por ser de difícil cultivo.

Em seu habitat natural, ocorre em grandes grupos, em áreas alagadiças e ao longo das margens de rios.

Formam paisagens espetaculares, que mesclam a rústicidade do habitat com a elegância e imponência destas palmeiras.

Por Tomás Mosaner

 

Mata Atlântica 100x160cm

 

mata atlântica

100 x 150cm

Considerada um dos mais importantes ecossistemas do mundo, a Mata Atlântica protege e regula o fluxo dos mananciais hídricos que abastecem as principais metrópoles do país e centenas de cidades; controla o clima local, garante a fertilidade do solo e a extraordinária beleza de suas paisagens.
Sua área original, antes grandiosa, encontra-se restrita a alguns remanescentes já bastante fragmentados, vestígios do ecossistema original que, embora aparentemente protegidos pela topografia acidentada da serra do Mar, continuam sendo destruídos para reflorestamento de espécies exóticas e extraçao de sua flora original.

Continue lendo

Mico leão dourado

mico leão

Mico leão dourado 60×60 cm

Animal monógamo, uma vez formado o casal, mantém-se fiel. O recém-nascido não passa mais que quatro dias pendurado ao ventre materno. Depois disso, é o pai que o carrega, cuida dele, limpa-o e o penteia. A mãe só se aproxima na hora da mamada. Ele estende os braços e o pai lhe entrega o filhote, que mama durante uns quinze minutos. Mas, mesmo nessa hora, o pequeno não gosta que o pai se distancie.

Atualmente, resta apenas um único local de preservação deste animal: a Reserva Biológica de Poço das Antas, no estado do Rio de Janeiro, no Brasil, a qual compõe dois por cento do habitat original da espécie na mata atlântica da Região Sudeste do Brasil. Restam cerca de mil micos-leões-dourados no mundo, a metade dos quais em cativeiro.

Um assunto que ainda é um fator muito preocupante é a situação não só do Brasil, como do planeta em relação a extinção da fauna e da flora. As causas da extinção são as mais diversas como destruição de seu habitat ( na maioria das vezes causada pelo homem ), falta de alimento, fatores genéticos, dificuldade de reprodução, modificações em seu ambiente.

De uma maneira ou de outra temos a certeza que o grande culpado disso acontecer somos nós próprios, os seres humanos, e o mínimo que podemos fazer é tentar ajudar a preservar, tomarmos consciência e fazer com que outras pessoas tomem também.
Denunciar é o primeiro passo, por ai vemos muitas pessoas que de forma ilegal adquire todos os tipos de animais que vão de aves, mamíferos, répteis, invertebrados e outros. Muitas vezes esses animais são vendidos muito barato, eles sofrem muito em todo trajeto, desde quando tirados da natureza até chegarem a seu destino, com sorte chegam vivos, mas ainda assim a chance de sobreviverem é muito pouca. já que não estão em seu habitat de origem.

Um assunto que ainda é um fator muito preocupante é a situação não só do Brasil, como do planeta em relação a extinção da fauna e da flora. As causas da extinção são as mais diversas como destruição de seu habitat ( na maioria das vezes causada pelo homem ), falta de alimento, fatores genéticos, dificuldade de reprodução, modificações em seu ambiente.

De uma maneira ou de outra temos a certeza que o grande culpado disso acontecer somos nós próprios, os seres humanos, e o mínimo que podemos fazer é tentar ajudar a preservar, tomarmos consciência e fazer com que outras pessoas tomem também.
Denunciar é o primeiro passo, por ai vemos muitas pessoas que de forma ilegal adquire todos os tipos de animais que vão de aves, mamíferos, répteis, invertebrados e outros. Muitas vezes esses animais são vendidos muito barato, eles sofrem muito em todo trajeto, desde quando tirados da natureza até chegarem a seu destino, com sorte chegam vivos, mas ainda assim a chance de sobreviverem é muito pouca. já que não estão em seu habitat de origem.


 

Tucano toco 60x60cm

Tucano toco 60x60cm

Para a reprodução usam o oco das árvores e até ninhos abandonados de pica-pau. Os tucanos podem ser vistos por todo o brasil nas florestas nos cerrados e nos campos.

A Extinção ocorre principalmente por causa da destruição do habitat, do tráfico de animais silvestres,etc. Devido ao desmatamento, tráfico de animais, várias espécies vêm entrando em perigo de extinção e até sendo extintas. Por causa do desmatamento, cerca de 100 espécies desaparecem a cada dia! Para reduzir a extinção de espécies é preciso acabar com o desmatamento ilegal e o tráfico ilegal de animas, que são as principais razões de extinção.

Ararinha azul

A arara mede cerca de 57 centímetros de comprimento e possui uma plumagem azul, variando em tons pálidos e vividos ao longo do corpo. Pouco se conhece sobre sua ecologia e comportamento na natureza. Sua dieta consiste principalmente de sementes de pinhão-bravo e faveleira. E a nidificação é feita em caraibeiras, em ocos naturais ou feito por pica-paus. O período de reprodução estava associado a época das chuvas.

Em decorrência de corte indiscriminado de árvores da caatinga, aonde restam apenas árvores mais jovens, não tão desenvolvidas e altas, e do tráfico ilegal, a população se reduziu até restar um único indivíduo que desapareceu em 2000/2001. Está seriamente ameaçada de extinção, tendo somente 73 exemplares em cativeiro.

acrílico sobre tela 60x60cm

A ararinha-azul é classificada pela União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN) como “em perigo crítico” (possivelmente extinta na natureza)[1], na Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Fauna e da Flora Silvestres Ameaçadas de Extinção (CITES) aparece no “Appendix I”[20] e pelo Ministério do Meio Ambiente como extinta na natureza desde 2002.[21]

O declínio populacional da espécie está associado com a perda do habitat, competição com abelhas africanizadas por ninhos, caça e tráfico de filhotes.[22] Durante as últimas décadas, o tráfico ilegal foi possivelmente a principal causa da extinção da espécie na natureza.[23]

O maior responsável pelo desaparecimento desta ave é o homem devido ao intenso tráfico. Os compradores são atraídos pela sua bela cor azul e principalmente pela ganância de possuir uma espécie tão rara. Um exemplar da ararinha-azul chega a custar no mercado negro milhares de dólares.

Atualmente existem apenas 87 exemplares da ararinha-azul no mundo, o que a torna uma das mais raras espécies vivas. Destes, apenas oito podem ser encontrados no Brasil, sendo que dois estão no zoológico de São Paulo. Apesar de serem um casal, as ararinhas-azuis do Zoológico de São Paulo nunca tiveram filhotes.

Em 2011, o filme de animação Rio teve como personagem principal uma ararinha-azul

 

Festival da Primavera-Campos do Jordão

A tela Ipês com 80x80cm participa do Festival da Primavera

Festival da Primavera- Campos do Jordão Secretaria Municipal de Cultura – Campos do Jordão e Presidente do Instituto de Recuperação do Patrimônio Histórico no Estado de São Paulo convidam Carla Prates à participar do Festival da Primavera Participação com 2 telas  Araucárias 80x80cm e  Ipês 80x80cm. Continue lendo

Pindorama 120X120cm


Pindorama com 120x120cm integra a série Cocos Nuciferas, onde remete o espectador a uma paisagem…


Pindorama em Tupi Guarani significa “terra das palmeiras”, e era desta forma que os indígenas chamavam o Brasil antes da chegada dos colonizadores portugueses.A tela Pindorama revela uma ampla variedade de espécies de palmeiras, tanto nativas como exóticas, explorando a diversidade de suas formas, texturas, cores e movimentos.Não é por menos que as palmeiras são consideradas pelos botânicos como os príncepes do reino vegetal.Entre as espécies representadas temos:Seafórtia ou Palmeira real- Archotophoenix alexandrae –origem: Austrália;Buriti – Mauritiaflexuosa –Brasil: Am, Ba, Ce, Go, Ma, Pa, Pi, Sp e To;Rabo de raposa – Wodyetia bifurcata -origem: Austrália;Butiá – Butia eriospatha-origem: Região Sul do Brasil;Palmeira azul – Bismarckia nobilis origem:Madagascar;Palmeira de Atherton – Laccospadix australasica –: Austrália.                               Por Tomás Mosaner